Tudo começou com a minha enxaqueca, mas me curei!

2

IMG_7913

Para quem não sabe, A Deliyou começou por causa de uma enxaqueca que me perseguiu desde os 6 anos de idade.

Se vc quer saber em mais detalhes, como eu me livrei dela e dos remédios, como transformei a minha alimentação e minha saúde,  entre agora no meu site www.danielamiguel.com e participe de uma palestra on line comigo :)

E hoje tive a oportunidade de reencontrar o Dr. Alexandre e mostrar para ele nosso novo lançamento: Queijo de Castanhas Germinadas.

Eu não podia deixar de mostrar, pois foi com ele que comecei toda a minha história com a alimentação saudável. Um médico que cuidava de seus pacientes no melhor lugar: na cozinha.

E hoje estou republicando um texto que escrevi em 2005 no meu antigo blog.

Porque esse texto vai ajudar quem tem enxaqueca ou está em tratamento. Que essas pessoas tenham em mim um estímulo e uma referência de cura. Perguntem o que quiserem lá nos comentários.

Porque o Dr. Alexandre Feldman continua aí, firme e forte, estudando essa doença e disposto a ajudar também.

Porque os conceitos que Dr. Alexandre prega ajudam não só quem tem enxaqueca, mas ajudam  qualquer pessoa a se reconectar com o que ingerem e a entender o mal que isso faz aos seus corpos e saúde. Somos feitos de natureza, nosso corpo reconhece natureza, e devemos nos alimentar do que é natural.

Porque há pelo menos 10 anos, ele já falava que devíamos comer orgânicos, manteiga, ovos, tomar sol, conceitos que hoje são tidos como “novos”.

Porque a prevenção e cura, para qualquer doença está na comida, mas na comida de verdade.

Porque é uma grande honra para mim tê-lo encontrado dias atrás e mostrado alguns produtos da Deliyou. Afinal, meus frutos também são frutos dele e este texto é uma forma de gratidão e agradecimento.

Abaixo está o texto na íntegra. Só gostaria de atualizar alguns pontos que no artigo estão “desatualizados”:

-o nome do Livro que hoje se chama Enxaqueca – Só tem quem quer;

-a comunidade não é mais no Orkut. É uma página no Facebook de nome: Livro Enxaqueca – Dr. Alexandre Feldman

-São dois sites que merecem ser lidos de ponta a ponta www.enxaqueca.com.br e www.medicinadoestilodevida.com.br

Daniela Miguel é engenheira, culinarista especialista em alimentação natural, ex-portadora de enxaqueca :) , mãe da Valentina, sócia e fundadora da Deliyou, uma empresa de produtos naturais e integrais que faz comida de verdade chegar até a sua casa.

Aí vai o texto…

Dia 16/09/2005, publiquei num blog que fiz há muito tempo atrás, um texto narrando a minha cura da enxaqueca. (http://daniela.ferrantte.blog.uol.com.br)

Boa leitura!

“Pessoal, gostaria de compartilhar com vcs a minha felicidade. Quem me conhece sabe que sofro de enxaqueca desde pequena. Sou paciente do Dr. Alexandre Feldman (Comunidade Enxaqueca Finalmente uma Saída do Orkut para quem quiser mais informações) desde Janeiro de 2002 e desde então faço tratamento e esta semana tive alta!!!!

Vou descrever meu caso e quem tiver a paciência de ler até o final, prometo que o texto estimulará muita gente a prosseguir no caminho da cura como eu.

Acho importante divulgar que esta doença que persegue tanta gente tem cura sim.

Bem, desde os meus 8 anos tinha (que engraçado poder escrever “tinha”) enxaqueca. Lembro-me que as crises eram fortes e sempre acompanhadas por vômitos.

As crises nunca me abandaram, passei toda a adolescência perdendo programas, provas por causa dela. Engraçado que as crises vão tendo uma periodicidade cada vez menor e as doses de analgésicos cada vez maiores. Às vezes converso com alguém que tem enxaqueca e digo como melhorei com o tratamento e a pessoa fica descrédula, argumentando que ultimamente só tem umas 3 crises por mês e que com certeza não precisa fazer tratamentos e tal. Aí eu penso: calma, elas vão aumentar…é uma pena, mas vão. É um vício, na verdade um efeito que o próprio analgésico dá, que se chama rebote…falarei mais para frente.

Fui para o hospital por diversas vezes, pois passava noites vomitando e com dores fortíssimas. Cheguei até a bater a cabeça na parede de tanto desespero.

Na faculdade as coisas só…pioraram é claro. Nas duas semanas de prova, aquela loucura, eu não tinha uma crise, mas era eu acabar a última prova, pegava o carro e finalmente ia para casa “descansar”, não dava tempo nem de chegar…perdi a conta das vezes que tive de para no meio da Rodovia Anchieta para vomitar.

As crises então começaram a ficar mais fracas, porém mais duradouras. Eu tinha crises que duravam 4 dias direto, todas as semanas, ou seja, vivia com dores.

A quantidade de remédio que eu tomava era um absurdo. Neosaldina era uma bala praticamente, Dorflex eu tomava de 4 de uma vez, ficava “grogue total”. O analgésico tira a dor, somente isso. Não ataca a verdadeira causa da enxaqueca. Depois de um certo tempo, não basta tomar um comprimido para a mesma crise, vc tem que tomar dois. Depois de mais um tempo, a crise piora e vc tem que tomar três…e assim por diante, um ciclo completamente vicioso. Esse é o tal do efeito rebote, lembram?

Busquei ajuda médica infinitas vezes. Fiz todos os tipos de exames (tomografias, ressonâncias, eletros). Fiz tratamentos com vários médicos, um deles me deu um remédio e me disse: Olha, vc vai ter que manerar um pouquinho na comida, pois ele dá um pouquinho de fome. Às 10:00h da matina, meu estômago roncava de um jeito que eu comia um cavalo se pudesse. Em um mês engordei 9 Kilos. Conclusão? Muito mais dor de cabeça. Outro médico bizarro disse que eu não podia ficar stressada, que ele quando chegava em casa entrava na sua piscina aquecida e comia uns queijinhos, umas azeitonas e que eu tinha que fazer a mesma coisa, arrumar um jeito de espantar o stress. Fácil não?

Como falei as minhas crises duravam cerca de 4 dias, ficava 1 ou 2 dias sem, depois mais 4 dias e assim fiquei por bastante tempo, até que um dia a minha mãe leu uma matéria num jornal sobre Enxaqueca onde o Dr. Alexandre falava de seus conhecimentos. Rapidamente minha mãe me passou a reportagem insistindo para eu marcar uma consulta. Naquele momento eu pensei: Mais um médico, mais um tratamento e com certeza nenhuma solução. Mas eu fui, carregando novamente aquela sacolinha com todos os exames que já havia feito.

Para meu espanto, o Dr. Alexandre não olhou nenhum deles. Fez-me um questionário enorme, ficamos em consulta por quase duas horas. Lembro-me como se fosse hoje, saí de lá super esperançosa, pois até que enfim alguém havia me dado uma explicação para a minha doença. Ele estava disposto a tratar as causas da minha doença, e não em me dar mais um remedinho. É claro que eu tomei uma medição preventiva, pois meu caso era grave, mas os remédios tinham uma explicação.

Comecei o tratamento no dia seguinte, mudei completamente meus hábitos, minha vida, meu paladar, meus valores até. Sinto-me muito melhor agora.

Confesso que no decorrer do tratamento, às vezes que me desanimava, pois nas reuniões ao pé do fogão, conversava com pacientes que tiveram alta muito mais rápido.

Dr. Alexandre me dizia que cada corpo reage num tempo, que eu não podia desistir, que o meu tempo iria chegar e finalmente chegou.

Hoje tenho crises que nem posso chamar de crises, pois são dores leves, que tomando um chá de gengibre, ou simplesmente uma novalgina elas passam rapidinho. Isso acontece no máximo uma vês ao mês. Uma verdadeira benção para mim. E hoje estou liberta da minha medicação diária, que fomos diminuindo com muito cuidado para não perder tudo o que eu havia conseguido.

Queria agradecer ao Dr. Alexandre, pela extrema dedicação que eles tem com todos pacientes, pela coragem que tem que ter para enfrentar todos os obstáculos que a grande indústria farmacêutica e alimentícia em prol do bem estar humano.

Dr. Alexandre além de meu médico, com certeza é meu amigo. 

E quem está apenas no comecinho, continuem, pois nada melhor que a nossa saúde.

Se quiserem dicas, trocar e-mails, estou à disposição de vcs.

Quem tiver interesse e obter uma vida saudável leia os livros: Enxaqueca Finalmente uma saída (Alexandre Feldman) e A Enxaqueca morre pela boca (Alexandre e Pat Feldman). Já adianto que eles não servem somente para quem tem dor de cabeça, e sim para quem não quer mais ficar doente, para quem não quer mais tomar remédios, para quem quer emagrecer comendo maravilhosamente bem, para quem quiser manter um equilíbrio hormonal (tão difícil para as mulheres nos dias de hj), enfim, para que preza pela saúde”.

Daniela Miguel é engenheira, culinarista especialista em alimentação natural, ex-portadora de enxaqueca :) , mãe da Valentina, sócia e fundadora da Deliyou, uma empresa de produtos naturais e integrais que faz comida de verdade chegar até a sua casa.

Compartilhe.

2 Comentários

  1. Adriana Antunes em

    Meu Deus!!! Será uma luz no fim do túnel? Já marquei minha com consulta com Dr. Feldman, espero assim como você chegar a cura, pois não suporto mais sofrer de tanta enxaqueca, não tenho mais vida social, não posso fazer nenhuma programação que até parece que estou agendando exatamente o dia em que a cabeça vai doer. Muito obrigada pela dica!

Deixe um Comentário